De mim e dos outros | Nati Vicentini

Finalmente eu não te encontro mais dentro de mim.

Acabou.

É estranho identificar esse momento e até mesmo aceitar que eu não te amo mais. Afinal, eu mal sei quem eu sou sem aquela vontade de te ligar, sem aparecer no corredor do teu apartamento de madrugada, sem te mandar mensagens malucas, sem sentir aquele nó de saudade no peito todo dia que eu abria os olhos pra mais um dia sem você.

Acontece que é isso mesmo… acabou. Eu te quis demais, mas finalmente hoje me quero mais ainda!

Venho resgatando a minha essência, estou voltando pra mim: me amando, me perdoando, me compreendendo.

Agora sou capaz de olhar com clareza pra tudo que aconteceu: você foi um egoísta, errando com tudo e com todos. E nem isso me incomoda mais.

Te vejo chegando no fim da linha sem pódio, sem abraços, sem comemoração: sozinho. E não me importo mais nem um pouco com isso. Não me importo mais com o seu emocional, nem com seus medos, muito menos com suas expectativas e com esse seu ego enorme.

Quero distância do mundo que inventamos.

Natália Vicentini
Natália Vicentini
De mim e dos outros

Blumenauense, formada em Jornalismo e finalizando curso de Direito; usa as palavras quando transborda e não se cabe mais por dentro. Se não escrever, surta. Tenta ser uma pessoa cada vez melhor - nem sempre consegue -, mas, ainda assim, possui "aquela estranha mania de ter FÉ na VIDA". Compartilha suas ideias malucas e seus amores inacabados na página "De mim e dos Outros".

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *