NÃO DÓI MAIS

Por vários dias nesses últimos meses eu fingi tanto não me importar, fingi tanto que minha barriga não doía toda vez que te via por aí de longe, eu aguentei tanto calada, segurei tanto o tranco sem dar nenhuma pista do quanto estava toda “fodida” por dentro, eu freei tanto a minha vontade de chorar, eu aguentei tanto…

que uma hora sumiu, passou. Sei lá. Parou de me afetar. A minha barriga não dói mais. Meu estômago não vira do avesso com algum sinal seu. Parou de doer, parou de tirar o meu sono, sabe? Não é mais personagem principal das minhas histórias. Não é meu primeiro pensamento ao acordar.

Se ele quer ir… que vá. Serei eternamente marcada por essas cicatrizes,

mas já não dói mais.

Natália Vicentini
Natália Vicentini
De mim e dos outros

Blumenauense, formada em Jornalismo e finalizando curso de Direito; usa as palavras quando transborda e não se cabe mais por dentro. Se não escrever, surta. Tenta ser uma pessoa cada vez melhor - nem sempre consegue -, mas, ainda assim, possui "aquela estranha mania de ter FÉ na VIDA". Compartilha suas ideias malucas e seus amores inacabados na página "De mim e dos Outros".

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *